Locke foi um importante teórico que muito contribuiu para o avanço da Ciência em geral

Marcos Pereira dos Santos (*)

À guisa de esclarecimento inicial, faz-se mister informar aos(às) estimados(as) leitores(as) que este breve ensaio científico, de viés analítico crítico-reflexivo, se configura como sendo o produto final (porém sujeito a possíveis adequações, complementações, ampliações, reformulações, elogios e críticas construtivas) de um trabalho avaliativo originalmente desenvolvido e apresentado pelo autor supra aludido ao Curso de Licenciatura em Filosofia da Faculdade Entre Rios do Piauí (FAERPI) Ao concebermos que tal temática merece uma discussão teórica minuciosa e mais aprofundada, optamos então por elaborar um ensaio científico, o qual ora torna-se de acesso e domínio público (**).

Marcos Pereira dos Santos (*)

professor fundamentalEm sentido pedagógico, pode-se dizer que a figura do professor como principal agente responsável pela instrução, pelo ensino, pela educação escolar e pela condução do processo educativo está presente na história da humanidade desde a Grécia antiga, com o aparecimento do escravo pedagogo que tinha, inicialmente, segundo Ghiraldelli Júnior (1991, p.8), a função precípua de “conduzir as crianças aos locais de estudo, onde deveriam receber instruções de seus preceptores”. Cabia a ele a tarefa de levar as crianças até os locais do conhecimento, às fontes do saber. O escravo pedagogo, até então, exercia apenas a atividade de condutor de crianças, e não de instrutor propriamente dito. Essa segunda etapa ficava por conta do preceptor.

Medo, calafrio e angústia são, por exemplo, as reações psicológicas mais comuns

Marcos Pereira dos Santos (*)

estudo6Dentre todos os trabalhos acadêmicos requisitados pelos professores no ensino superior (resumos, resenhas, fichamentos, papers, ensaios e artigos científicos, relatórios de pesquisa e de estágio curricular supervisionado, informes científicos etc.), o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) ainda tem se configurado como uma “pedra de tropeço”, um “bicho de sete cabeças” (PESSOA, 2005) na vida acadêmica de muitos estudantes universitários.

Importância da Estatística para o desenvolvimento de pesquisas

Marcos Pereira dos Santos (*)

negocios numerosEm linhas gerais, pode-se asseverar que os modos de pensar e fazer pesquisas científicas nas universidades sempre foram considerados um dos principais objetos de estudos de epistemólogos e outros estudiosos da Ciência. No entanto, ainda nos dias atuais, são inúmeras as polêmicas acerca do real valor científico das investigações de abordagem qualitativa, quantitativa e qualiquantitativa. (GÜNTHER, 2006)

O profissional pedagogo vive na ruptura paradigmática

Marcos Pereira dos Santos (*)

prof-marcos-pereira webA Educação, do latim educationem que, por seu turno, deriva de educare e este último de educere (levar, conduzir a), sempre fez parte da história da humanidade, desenvolvendo-se de diferentes formas em cada tipo de sociedade.

Os progressos vieram e continuam crescendo de forma exponencial

Marcos Pereira dos Santos (*)

120px-0200 years Biblioteca Nacional in Rio de Janeiro city Desde o final da década de 1980, tem-se discutido com maior intensidade, tanto em nível nacional quanto internacional, sobre a crise na/da Educação; crise essa cujo termo, em sua gênese histórica, significa o momento de tomar decisões (acertadas!). Todavia, esse sentido, de acordo com Garcia (1995), foi se modificando ao longo dos tempos, apresentando significados de viés “sombrio”, tais como: tensão, incerteza, conflito, manifestação violenta e repentina de ruptura do equilíbrio, fase difícil no processo de evolução em geral, estado de dúvida, momento perigoso ou decisivo, rompimento de paradigma, entre outros. 

Mais Artigos...

  1. Entre o perene e o provisório: o mito nas sociedades pré-socrática, clássica, primitiva, moderna e contemporânea
  2. Alfabetização escolar no Brasil das décadas de 1970 e 1980: conceituação, historicização e processos metodológicos
  3. Filosofar: uma atividade de reflexão
  4. O verdadeiro sentido de ser mestre
  5. Férias escolares: momento de lazer, reflexão e (re)planejamento
  6. Filosofia na formação inicial de professores-pedagogos: o fulcro da práxis docente
  7. Educação multicultural no Brasil contemporâneo: um retrato em preto e branco
  8. Projeto político-pedagógico: “panaceia” da educação escolar?
  9. Cinquentenário do Dia do Professor evidencia o significado da profissão
  10. Por que ser docente no século XXI?
  11. Cinquenta anos de comemoração e quase dois séculos sem soluções
  12. Fracasso escolar: mitos e verdades
  13. Semanas pedagógicas na escola: uma questão de modismo educacional?
  14. Práticas pedagógicas nos cursos de licenciatura em pedagogia no Brasil contemporâneo: o caso dos estágios curriculares supervisionados em gestão educacional
  15. Qualidade do Ensino Superior: os cursos de Administração de Empresas (2ª parte: Propostas)
  16. Inteligência Competitiva: como ajudar as instituições de ensino a tomarem decisões estratégicas
  17. Filosofia na vida e na escola: para que te quero?
  18. Representações sociais: um enfoque estrutural
  19. A cultura negra no Brasil do século XXI: aspectos sociais, históricos e educacionais
  20. Qualidade do Ensino Superior: os cursos de Administração de Empresas (1ª parte: Diagnóstico)
  21. Teoria das representações sociais: uma abordagem psicossocial
  22. Cálculo Diferencial e Integral: uma disciplina temível?
  23. Matemática: (ainda) um problema para os estudantes brasileiros dos dias atuais?
  24. Local de trabalho também é lugar de aprender
  25. Possibilidade jurídica do casamento homoafetivo no Brasil
  26. Biblioteca: uma máxima que (quase) ninguém dá a mínima
  27. Entre o real e o ideal: algumas reflexões sobre o papel social da instituição-escola nos dias atuais
  28. A importância de valorizar a água potável
  29. Muitos pesos, nenhuma medida!
  30. Abrindo as cortinas: alguns apontamentos crítico-reflexivos sobre a situação problemática do ensino superior privado no Brasil do século XXI
  31. A prática da pesquisa na vida social e escolar: pontos e contrapontos
  32. Motivação: o novo modelo de gestão
  33. Gastos em educação precisam ser planejados
  34. Aprendizagem significativa, um novo jeito de estudar
  35. Qualidade pedagógica, a âncora da escola
  36. O resgate da função pública
  37. Brasil, mais carinhoso com a educação infantil
  38. Professora dá dez dicas para se sair bem em redações do Enem e de outros vestibulares
  39. O gap entre a educação e a indústria
  40. O papel do profissional de RH na estratégia da empresa
  41. Liderar é formar bons times
  42. O profissional de Marketing definirá a estratégia das corporações contemporâneas
  43. Cursos de pós-graduação em Contabilidade não priorizam formação de professores
  44. Planejamento e organização: questão de sobrevivência
  45. Lei Dodd-Frank e a transparência: um debate de sustentabilidade ética e de ação educativa nas empresas brasileiras
  46. Na repetência escolar, quem deve ser reprovado: o aluno ou o colégio?
  47. Aprendendo com as ondas
  48. O conhecimento e a informação como bens maiores do século XXI
  49. Segurança da Informação: você já fez sua parte?
  50. A difícil arte de educar