Educação

O REAL E O IDEAL NA ESCOLA DO SÉCULO XXI: Temas Básicos de Educação Escolar: um enfoque multirreferencial

O REAL E O IDEAL NA ESCOLA DO SÉCULO XXI: Temas Básicos de Educação Escolar: um enfoque multirreferencial

Este livro aborda diferentes temas, situacionais e específicos, alusivos à educação escolar em geral e se encontra didaticamente organizado em quatro partes distintas, a saber:

Na Parte I – Educação Filosófica e Ensino de Matemática traz-se a lume questões referentes à Filosofia na vida e na escola, na Educação Infantil e na formação inicial de professores-pedagogos, bem como dificuldades de ensino e aprendizagem de Matemática.

Na Parte II – Representações Sociais e Multiculturalismo são apresentados temas que tratam da Teoria das Representações Sociais (TRS) tanto numa perspectiva estrutural quanto numa abordagem psicossocial, bem como sobre a cultura afrodescendente e o multiculturalismo em geral no âmbito social, histórico e educacional.

Os temas que compõem a Parte III – Ensino Superior e Metodologia Científica versam sobre assuntos concernentes à situação problemática do Ensino Superior privado no Brasil contemporâneo; às práticas pedagógicas desenvolvidas nos cursos de licenciatura em Pedagogia; ao (des)uso da biblioteca escolar e sua função educativa; à importância da pesquisa na vida social e escolar; e ao processo de elaboração de ensaio científico-filosófico como modalidade de trabalho acadêmico.

Por fim, na Parte IV – Escola e Trabalho Docente são tratados temas como: papel social da instituição-escola na atualidade; mitos e verdades sobre as causas e consequências do fracasso escolar; importância da profissão docente no século XXI; reais finalidades da realização de semanas pedagógicas na escola; processos de elaboração, execução e avaliação do projeto político-pedagógico escolar; e férias escolares como momento de lazer, reflexão e (re)planejamento.

A obra pode ser utilizada como excelente fonte de estudos e pesquisas científicas para professores e graduandos dos cursos de Licenciatura em Matemática, Licenciatura em Pedagogia, Licenciatura em Filosofia, Licenciatura em Ciências Sociais e de outras áreas correlatas; especificamente nas disciplinas de Filosofia da Educação, Didática, Organização do Trabalho Pedagógico, Planejamento Educacional, Sociologia da Educação, Metodologia da Pesquisa Científica, Trabalho Docente e Tópicos de Educação Matemática.

Obra produzida com o apoio do Portal ProfessorNews.

 

COMPRAR

 

  • Autor: Marcos Pereira dos Santos
  • Editora: Longarina/ProfessorNews
  • Edição:
  • Ano: 2015
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 50,00
HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: Do Período Colonial ao Predomínio das Políticas Educacionais Neoliberais

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: Do Período Colonial ao Predomínio das Políticas Educacionais Neoliberais

A opção do autor pela temática "História da educação brasileira" justifica-se pelo interesse em investigar o tratamento que a questão tem recebido ao longo da história da sociedade nacional. Seu objetivo foi fazer um resgate histórico do movimento educacional brasileiro, tomando como ponto de partida o período colonial e o ensino jesuítico, num estudo que vai até a década de 1990.

Nesse sentido, procedeu-se à análise da educação brasileira, tomando-se como ponto de partida a atuação dos padres jesuítas até as atuais políticas propostas para os cursos superiores, as quais estão vinculadas ao projeto hegemônico neoliberal.

A obra procura desvendar o modo pelo qual as ideologias em cada período da história aqui estudado viabilizam condições favoráveis para a implantação de propostas educacionais. Depois da análise da educação no período colonial, o texto avança para o período republicano, focando que a educação começou a tomar contornos diferenciados e a se constituir num problema de ordem social, com implicações diretas no crescimento e desenvolvimento da economia brasileira. Os tópicos seguintes abordam a transformação do ensino médio brasileiro por meio das reformas educacionais e das Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 4.024/61, 5.692/71 e 9.424/96.

O capítulo final se dedica à análise do Projeto Hegemônico Neoliberal e a Educação Nacional, em que são estudados os fundamentos teóricos do liberalismo, os pressupostos teóricos da ideologia neoliberal, a teoria do capital humano e a questão educacional, as políticas educacionais neoliberais e a qualidade total na educação.

Livro-texto para as disciplinas História da Educação e História da Educação Brasileira dos cursos de Pedagogia e Licenciatura em níveis de graduação e de pós-graduação. Leitura recomendada para pesquisadores e professores de todos os níveis de ensino.

  • Autor: Alexandre Shigunov Neto
  • Editora: Atlas
  • Edição:
  • Ano: 2015
  • Existe eBook: sim
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 65,00
APRENDER COMO AUTOR

APRENDER COMO AUTOR

Aprendizagem é o exercício permanente de Autoria, expectativa que se avivou ainda mais com a web 2.0, ao insistir na geração de conteúdo próprio como signo maior do trabalho individual e coletivo na internet. Entre outros exemplos convincentes, temos a Wikipédia, uma enciclopédia digital que enfeixa a produção coletiva, pública e gratuita de um bando de autores. Não substitui outras enciclopédias, mas oferece um dos ambientes mais prolíferos de aprendizagem como autoria, postada sobre a pedagogia da problematização aberta e as novas epistemologias voltadas para um sentido autorrenovador de conhecimento. 

O mundo das novas tecnologias, a bem da verdade, não inventou novas teorias da aprendizagem, mas as reconfigura constantemente como palcos de autoria individual e coletiva, ressaltando dimensões da motivação intrínseca (nos videogames sérios, por exemplo), da promoção da autonomia do estudante capaz de autodirecionar seu estudo sob orientação docente, da produção de conhecimento próprio como fonte decisiva de oportunidades na sociedade/economia do conhecimento. 

Autoria é termo de história milenar e atávica, se pensarmos que no primeiro livro da Bíblia, o Gênesis, o “pecado” aí relatado foi da criatura contra o Criador – Adão e Eva comeram do fruto da árvore proibida, pretendendo se tornar deuses também. Este confronto passou a ser visto como ícone das propostas de emancipação, em especial em Paulo Freire, que, ao burilar o termo conscientização, indicava que o oprimido só se livra do opressor se souber pensar, retomando a autoria de seu destino. A maior opressão possível é ter o destino preso às mãos dos outros, porque implica esperar do opressor a libertação. Enquanto isso ocorrer, não haverá emancipação. Esta se torna possível se o oprimido, num gesto de crítica autocrítica, descobrir que, se solução houver, depende de sua autoria, acima de tudo. Precisa da ajuda de todos, mas a melhor ajuda será aquela que, de tão bem feita, se anula, ou seja, aquela que transforma o ajudado em autor. Autoria não deve virar modismo. Mas é referência das mais elegantes do que esperamos de um estudante, em especial de um professor. 

Livro destinado a professores, pesquisadores e estudantes de educação (pedagogia e licenciaturas), bem como a todos os professores universitários que pretendem cuidar da aprendizagem de seus estudantes, não apenas do repasse instrucionista de conteúdos. Serve mormente para rever ambientes escolares e universitários que, ultrapassando didáticas reprodutivistas, buscam armar condições nas quais os estudantes se tornam protagonistas cruciais de sua aprendizagem. Tem particular significado para a formação dos professores como autores.

  • Autor: Pedro Demo
  • Editora: Atlas
  • Edição:
  • Ano: 2015
  • Existe eBook: sim
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 55,00
A EDUCAÇÃO DA PRIMEIRA INFÂNCIA NA PERSPECTIVA DE COMENIUS

A EDUCAÇÃO DA PRIMEIRA INFÂNCIA NA PERSPECTIVA DE COMENIUS

No estudo de Philippe Ariès (1914-1984), observou-se que a partir do século XVII houve uma crescente ênfase na instituição escolar, que propunha a substituição da família por profissionais da educação, no ensino dedicado à criança, que, antes depreciada, começava a receber destaque e tornava-se figura central na família. A criança, de filho, passou a ser intuída como aluno e percebida como criança-aluno.

O pedagogo tcheco João Amós Comenius, enquanto apologista da instituição escolar, ao propor sua organização escolar, inicia pela escola materna, denominando-a como “escola da infância”, o que demonstra claro entendimento de que o ambiente familiar era uma das classes escolares essenciais em sua proposta de reformar e organizar a instituição escolar, visto que dela dependeriam as demais classes.

A escola-família deveria ser considerada como prioritária, já que nela se formaria a criança-aluno de zero a seis anos, e os pais não só seriam responsáveis em prover a educação, mas igualmente considerados como “pais-professores”, e as crianças como alunos dessa instituição, família-escola.

Aos pais-professores era indispensável prover manuais para que soubessem ensinar a criança-aluno. No atendimento dessa demanda é que Comenius escreveu a Didática magna, A escola da infância e a Pampaedia, sendo que, das três, a que mais se harmoniza com o formato de manual destinado à educação da primeira infância é a obra A escola da infância, conforme analisada neste livro.

No primeiro capítulo – A obra de Comenius à luz da interpretação de Philippe Ariès: valorização e descoberta da criança – foram estabelecidos vínculos hermenêuticos entre Ariès e Comenius com ênfase na valorização e descoberta da criança.

O segundo capítulo – Comenius em prol da escola: ensinar a todos – evidenciou o pedagogo tcheco como um árduo defensor da instituição escolar. No último capítulo – Educação da primeira infância: pais-professores e criança-aluno de zero a seis anos –, o objetivo se fundamentou em investigar nas obras Didática magna, A escola da Infância e Pampaedia as razões pelas quais Comenius se referia à educação das crianças de zero a seis anos, denominando- a de “escola da infância”. 

Obra recomendada para pedagogos, docentes de mestrado e doutorado, filósofos, profissionais da saúde da infância, políticas sociais da Educação e de áreas correlatas. Leitura complementar para as disciplinas Educação da Infância, História da Educação, Filosofia da Educação, Didática do Ensino Superior e Temas em Educação dos cursos de graduação e de pós-graduação (mestrado e doutorado).

  • Autor: Edson Pereira Lopes
  • Editora: Atlas
  • Edição:
  • Ano: 2015
  • Existe eBook: sim
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 55,00
PAIS CONSCIENTES, CRIANÇAS INTELIGENTES

PAIS CONSCIENTES, CRIANÇAS INTELIGENTES

A evolução global e o avanço das novas tecnologias da informação marcam, a partir do século XXI, a rápida mudança do comportamento humano em todas as dimensões sociais, afetivas e ideológicas. Entre os benefícios trazidos pela agilidade da informação e pela aproximação das diferentes culturas, observa-se também o abismo que se criou, distanciando a presença dos valores universais à vida na aprendizagem das crianças e no cotidiano dos jovens e adultos. 

O caos nas relações sociais pela ausência dos parâmetros morais se estabelece e passa a ser percebido como normal devido às frequentes violências assistidas que acabam sendo replicadas nos núcleos familiares. Nessa confusão pragmática, pais e educadores se declinam por não saberem se posicionar na educação de crianças hábeis na recepção de informações, mas ainda imaturas emocionalmente, frente a tantas alterações. 

Emergem, assim, a Geração Cloud e a urgente necessidade de pais conscientes aprenderem a educar crianças inteligentes para tomarem decisões saudáveis e agirem solidariamente em meio às diferenças. 

Pais conscientes compreendem e estimulam os princípios de uma educação ativa e conquistam a liderança parental de forma que assegurem o bem-estar no desenvolvimento socioemocional dos filhos. Condutas indispensáveis para constituir uma família feliz e promover a autonomia para criar crianças inteligentes. 

Obra recomendada para professores da Educação Infantil, do Ensino Fundamental (anos iniciais), gestores, coordenadores e orientadores de ensino, profissionais da área clínica familiar (terapeutas). Como o livro tem abordagem contextual, fundamentado em estudos científicos, é indicado também para o público acadêmico e público geral, para jovens pais, futuros pais, e mesmo para as famílias já constituídas que retornaram a ter um filho. Leitura complementar para os cursos de graduação em Pedagogia, Assistência Social, Psicologia do Desenvolvimento Humano e Psicologia Infantil e Psicopedagogia e de pós-graduação em Orientação Educacional, Gestão Escolar, Psicologia Educacional e Terapia Clínica Familiar.

  • Autor: Érika Carvalho
  • Editora: Atlas
  • Edição:
  • Ano: 2015
  • Existe eBook: sim
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 55,00
REPENSANDO A EDUCAÇÃO BRASILEIRA: O Que Fazer Para Transformar Nossas Escolas

REPENSANDO A EDUCAÇÃO BRASILEIRA: O Que Fazer Para Transformar Nossas Escolas

A educação brasileira, nos últimos anos, tornou-se campo de disputas políticas e ideológicas. Entre especialistas e formadores de opinião, no entanto, há consenso sobre a falta de funcionalidade da escola pública e a qualidade do ensino, mas isso também inclui a escola privada. Essa constatação em si já é diagnóstico da má qualidade da educação no País, mas não aprofunda as causas dessa realidade nem aponta caminhos para a reforma educacional, identificando os reais desafios.

Este livro dedica-se a esmiuçar essa questão. Sem qualquer ambição de oferecer “a solução”, o autor propõe um debate a respeito da realidade de nossas escolas, dos fundamentos de um projeto educacional apoiado num conceito minimamente adequado de Escola e discute as possibilidades e limites que enfrentamos para repensar essa instituição.

  • Autor: João Batista Araujo e Oliveira
  • Editora: Atlas
  • Edição:
  • Ano: 2015
  • Existe eBook: sim
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 60,00
FILOSOFIA POLÍTICA PARA EDUCADORES: Democracia e Direitos de Minorias

FILOSOFIA POLÍTICA PARA EDUCADORES: Democracia e Direitos de Minorias

O filósofo Paulo Ghiraldelli dedica-se à discussão dos direitos das minorias, que tem ganhado cada vez mais espaço no debate político e nas telas da TV, incluindo questões como o casamento entre homossexuais, as leis contra homofobia, a “Marcha das Vadias” (como forma de denúncia contra o desrespeito e a violência contra a mulher), as cotas étnicas na universidade, a descriminalização do aborto, a lei contra a violência doméstica e a “palmada pedagógica”, além de outros temas correlatos, como o ateísmo e o “politicamente correto”.

  • Autor: Paulo Ghiraldelli Jr.
  • Editora: Manole
  • Edição:
  • Ano: 2013
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 37,00
ECOPEDAGOGIA E CIDADANIA PLANETÁRIA

ECOPEDAGOGIA E CIDADANIA PLANETÁRIA

A noção da Cidadania Planetária sustenta-se na visão unificadora do planeta e de uma sociedade mundial. O desenvolvimento sustentável vinculado ao processo pedagógico deve ser interpretado com base nos temas como: promoção da vida, equilíbrio dinâmico, convergência harmônica, ética integral, "racionalidade" intuitiva e consciência planetária.

  • Autor: Cruz Prado; Francisco Gutiérrez
  • Editora: Cortez
  • Edição:
  • Ano: 2013
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 32,00
EDUCANDO PARA INOVAÇÃO E APRENDIZAGEM INDEPENDENTE

EDUCANDO PARA INOVAÇÃO E APRENDIZAGEM INDEPENDENTE

O livro aborda o desafio de educar pessoas em um mundo onde as habilidades associadas com inovação, em seu conceito mais recente, estão se tornando cada vez mais relevantes. Estudantes de hoje somente estarão aptos a enfrentar os desafios do futuro se, ao longo de sua formação escolar, estiverem preparados para os múltiplos papéis que exercerão na sociedade, seja enquanto cidadãos, profissionais ou, posteriormente, como pais e educadores. 
Este livro explica como educar as pessoas para um mundo em que a inovação está cada vez mais central e mais relacionada com as tecnologias digitais. Ele trata das metodologias educacionais compatíveis com este panorama que aponta para o desenvolvimento econômico e social sustentável no qual a inovação é estratégia central para satisfazer as novas necessidades pedagógicas. 
Ronaldo Mota e David Scott exploram a conexão entre três importantes temas da contemporaneidade: aprendizagem, tecnologia e inovação, tomando como exemplo casos do Brasil e da Inglaterra. Dessa forma, explora e contribui para a superação das dificuldades enfrentadas pelas políticas e práticas educacionais no mundo contemporâneo.

  • Autor: Ronaldo Mota; David Meerman Scott
  • Editora: Elsevier
  • Edição:
  • Ano: 2013
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 45,90
PROFESSOR NÃO É EDUCADOR

PROFESSOR NÃO É EDUCADOR

Com os tópicos tratados neste livro, pretende-se mostrar que: professor não deve ser educador de seus alunos, que é nocivo dar ao professor a missão de educar; que a função do professor é instruir, e que educar e instruir são coisas muito diferentes. E, por se referirem de algum modo ao ensino, outros assuntos são analisados.

Alguns capítulos abordados no livro:
-Exigir educação, não é educar
-Insucesso escolar
-Relacionamento professor-aluno
-Redação, um tormento (uma receita simples de como aprender a fazer redação)
-Professor não gosta de mim
-Professor, qual a sua opinião sobre.....
-O hábito de ler
-Professor autoritário
-Professor simpático
-Aula num dia triste
-Para melhorar o ensino
-Polêmica sobre a repetência

Esta é uma obra que pode ser amada ou odiada, mas que, com certeza, fará com que o leitor não saia a mesma pessoa após sua leitura. Uma contribuição bem-vinda num momento em que a eficiência na escola se torna mais importante e mais desejada do que nunca.

  • Autor: Armindo Moreira
  • Editora: Ed. própria (Cascavel-PR)
  • Edição:
  • Ano: 2013
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 20,00
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: Professores-Autores em Tempos de Cibercultura

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: Professores-Autores em Tempos de Cibercultura

A autora reuniu neste livro a questão dos Professores-Autores na Educação a Distância em Tempos de Cibercultura, resultado de sua tese de Doutorado, em que fez uma pesquisa minuciosa sobre a preparação, capacitação de professores para a autoria, produção de textos didáticos de EAD no contexto da Cibercultura.

"A pesquisa foi realizada no Brasil, na Espanha e em Portugal em instituições dedicadas à EAD para verificar como os professores encaram a cultura das tecnologias digitais, web 2.0 e o que elas propiciam para a formação docente e a prática profissional. O trabalho analisa ainda de que maneira a Cibercultura afeta os processos educativos e como os professores-autores se apropriam dessas tecnologias para enfrentar a cultura digital contemporânea. Abrange nesta obra temas centrais e subjacentes que você, leitor, ao iniciar a leitura, não vai parar de tão instigante e atrativa que se apresenta."
Dra. Consuelo Aparecida Sielski Santos
Chefe da Universidade Corporativa dos Correios
Vice-Presidente da Anitec

"Com sua capacidade de olhar as questões educacionais de forma diferenciada, a autora reúne nesta obra o seu diálogo com autores que se distinguem ao tratarem do tema autoria, entre os quais destacam-se: Foucault, Barthes, Chartier, Bakhtin e Benjamim."
Lúcia Regina Goulart Vilarinho

"A professora Eleonora Jorge Ricardo, neste livro, promove uma reflexão que busca quebrar o paradigma da educação tradicional levado para o processo de educação a distância, mostrando-nos que com as tecnologias e recursos disponibilizados no século XXI o aprendizado acontece de forma interativa, compartilhada e dinâmica, onde se configuram como autores todas as partes envolvidas, professores, alunos e sociedade."
Cristina Maria Faria de Menezes
Gerente da Seção de Capacitação e Desenvolvimento Casa da Moeda do Brasil - CMB

"A leitura deste livro nos traz conhecimentos sobre a história da produção humana, focalizando a cibercultura e a autoria, além de nos permitir reflexões sobre a educação a distância e seus desdobramemtos no Brasil. É uma obra que contribuirá muito para as discussões sobre a necessidade de educação permanente em todas as instâncias sociais."
Berhta de Borja Reis do Valle/UERJ

Livro indicado para cursos de pedagogia, letras e licenciaturas; bem como para os de pós-graduação que tenham a disciplina Educação a Distância. Leitura relevante para educadores, professores e profissionais de educação corporativa e de educação a distância no contexto das tecnologias digitais.

  • Autor: Eleonora Jorge Ricardo
  • Editora: Atlas
  • Edição:
  • Ano: 2013
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 42,00
A DIGNIDADE ULTRAJADA: Ser Professor do Ensino Público Brasileiro nos Dias Atuais

A DIGNIDADE ULTRAJADA: Ser Professor do Ensino Público Brasileiro nos Dias Atuais

O livro é um manifesto em defesa dos bons professores e da profissão docente. Ele discute os principais problemas enfrentados pelos professores e pelas escolas públicas à luz da Psicologia Evolutiva e Antropologia Darwinista, duas abordagens teórico comportamentais praticamente desconhecidas no meio educacional brasileiro.

 

Nas últimas décadas, imperaram na Educação Brasileira teorias pouco fundamentadas em estudos realmente científicos do comportamento humano. Por sua vez, essas abordagens idealistas e ineficientes só contribuíram para descaracterizar a função social da escola, desvalorizar seus profissionais e fazer despencar a qualidade do seu produto: o ensino formal. Essas teorias também contribuíram para instaurar o pessimismo, a depressão e a falta de perspectiva na classe docente, levando-a a uma crise:


- falta de professores nas escolas; desinteresse dos jovens brasileiros em seguir a carreira docente;- fechamento paulatino dos cursos de licenciatura;- adoecimento cada vez mais frequente dessa categoria de profissionais;- desistência e abandono da carreira pelos docentes mais jovens que, devido à pouca idade, ainda têm a chance de ingressar em outra profissão;ocupação das salas de aula do ensino público por professores mal formados, desqualificados, despreparados;- epidemia de depressão e- desalento dos professores em relação á sua vida profissional.

 

É um trabalho que nasceu da experiência docente da autora durante os últimos doze anos. De um lado, a prática diária em sala de aula e, de outro, a vivência nos meios acadêmicos educacionais levaram à constatação de que existem duas realidades muito distintas e distantes uma da outra em nosso país. E a pior constatação foi a de que muitos dos profissionais “teóricos” que deveriam lutar pela melhoria das condições do ensino brasileiro, fingem-se de sonsos por comodismo ou por incompetência. Isso tudo, por sua vez, levou a autora a um estado insustentável de choque, revolta e inconformismo que culminou com o episódio de sua admissão e demissão (voluntária), como psicopedagoga, do setor de apoio psicopedagógico da rede municipal de ensino de sua cidade.

 

O livro traz, ainda, sugestões para que, por meio de políticas públicas sérias e fundamentadas em estudos verdadeiramente científicos do comportamento humano, as condições de trabalho dos profissionais da área educacional e a qualidade do ensino público possam modificar-se positivamente, de maneira que nossas escolas sejam exemplos de qualidade e que permitam aos bons professores e bons alunos trabalhar sem ter, diariamente, sua dignidade ultrajada.

 

  • Autor: Kátia Simone Benedetti
  • Editora: Barra LIvros
  • Edição:
  • Ano: 2013
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 38,00
EDUC@R: A (R)evolução Digital na Educação

EDUC@R: A (R)evolução Digital na Educação

A evolução das tecnologias digitais de informação e comunicação tem alterado profundamente a sociedade em todas as suas dimensões, inclusive no âmbito da educação. Considerando isso, Educ@r – A (r)evolução digital na educação, publicado pela Editora Saraiva, apresenta e discute dois importantes aspectos que afetam de modo considerável a educação tradicional. O primeiro é o das mudanças causadas pela disseminação e penetração das plataformas e das tecnologias digitais na sociedade; o segundo é o dos impactos dessas mudanças na educação e as possibilidades que as plataformas e as tecnologias digitais anunciam.

Esse panorama, repleto de alternativas, conexões e ampliação do potencial humano, traz consigo relevantes modificações e, consequentemente, desafios inéditos. A Era da Informação está dando lugar à Era da Inovação, e, com isso, surgem questionamentos sobre como deve ser a educação na era digital ou que provocações e oportunidades ela acarreta.

O docente exerce um papel essencial nesse novo mundo digital, não mais como um “provedor de conteúdos”, mas sim como um catalisador de reflexões e conexões para seus alunos em um ambiente mais complexo, que também é mais rico e poderoso. A intenção desta obra é auxiliar os educadores a sentirem-se preparados para acompanhar as tendências e perspectivas que surgirão.

Como  este estudo trata de transformações digitais, os cases e exemplos são exibidos também em formato digital. Assim, para permitir que o leitor acesse os links digitais assinalados ao longo do texto, são apresentados QRcodes que podem ser escaneados e acessados on-line. Assim, a experiência de leitura do livro físico integra-se totalmente ao conteúdo digital.

A escolha do título e da capa do livro também foi feita de forma digital. A autora Martha Gabriel realizou um concurso em sua página no Facebook para eleger o título, enquanto a Editora Saraiva promoveu uma votação para a definição da capa na página do SaraivaUni no Facebook.

Veja mais: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/4917172?PAC_ID=122420

  • Autor: Martha Gabriel
  • Editora: Saraiva
  • Edição:
  • Ano: 2013
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 49,00
BULLYING E PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS: Quebrando Mitos, Construindo Verdades

BULLYING E PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA NAS ESCOLAS: Quebrando Mitos, Construindo Verdades

O bullying é uma questão social preocupante, mas alguns mitos foram criados em torno do assunto. Falsas noções sobre o fenômeno são difundidas pelos meios de comunicação e até mesmo por meio de materiais informativos. O bullying não pode ser confundido com mera brincadeira; xingamentos e maus-tratos, ofensas ou conflitos pontuais podem oprimir mais do que se imagina, daí a relevância de se compreender o tema a fundo.

Bullying e Prevenção da Violência nas Escolas – Quebrando mitos, construindo verdades, publicado pela Editora Saraiva, tem o propósito de romper as falácias em torno do problema, revelando o bullying como um evento perverso. Seus reflexos atingem não apenas as vítimas, mas toda a comunidade escolar.

Fundamentado em pesquisas e dados nacionais e internacionais, o livro, elaborado por Luiz Flávio Gomes e Natália Macedo Sanzovo, demonstra a nocividade do bullying e traz à tona a prevenção como caminho válido e definitivo para o enfrentamento de tal adversidade.

Destinado a pais, alunos e profissionais da área educacional, sobretudo aqueles ligados ao Ensino Fundamental e Médio, além de estudantes e profissionais do Direito, da Pedagogia e da Psicologia, o texto trata-se de importante fonte de referência, útil no combate à violência no ambiente escolar.

Essa obra faz parte da Coleção Saberes Monográficos, que reúne estudos significativos e abrangentes com o objetivo de trazer informações e aprofundar o conhecimento acerca de temas jurídicos relevantes.

Veja mais: http://www.editorasaraiva.com.br/obrasDetalhes.aspx?arg=770112

  • Autor: Luiz Flávio Gomes; Natália Macedo Sanzovo
  • Editora: Saraiva
  • Edição:
  • Ano: 2013
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 79,00
TENHO UM ALUNO SURDO, E AGORA? Introdução a Libras e Educação de Surdos

TENHO UM ALUNO SURDO, E AGORA? Introdução a Libras e Educação de Surdos

Pesquisadores e docentes, surdos e ouvintes, que atuam na área de surdez, se reuniram para compartilhar seu conhecimento sobre questões que envolvem a surdez, a Língua Brasileira de Sinais (Libras) e a educação de alunos surdos. O resultado vem agora a público, com o livro Tenho um aluno surdo, e agora? Introdução à Libras e educação de surdos, lançamento da EdUFSCar. Organizado pelas professoras Cristina Broglia Feitosa de Lacerda e Lara Ferreira dos Santos, reúne 14 artigos voltados a professores que iniciam suas experiências com alunos surdos.

O objetivo da obra é oferecer, além do conhecimento inicial sobre a educação de surdos e o aprendizado da Libras, o aprofundamento teórico sobre questões importantes que vêm sendo discutidas na área, bem como dar subsídios para a atuação do futuro professor da educação básica junto a alunos surdos.

São abordados conceitos como concepção de linguagem, a Educação Inclusiva para surdos e políticas vigentes, detalhamentos do funcionamento da Língua Brasileira de Sinais aos iniciantes nessa língua e introdução à gramatica da Libras. São ainda problematizadas questões da Política Nacional de Educação e sua articulação com os documentos oficiais que garantem, como direito das pessoas surdas, a educação bilíngue, incluindo estratégias metodológicas e estruturais para o ensino de alunos surdos. A obra abrange também temas como o surgimento da linguagem de sinais, as mudanças sofridas na língua ao longo dos anos, questões léxicas, simultaneidade e iconicidade, até então pouco discutidos na literatura disponível. 

Tenho um aluno surdo, e agora? possibilita uma ampla visão dos diversos aspectos relacionados à linguagem dos sinais e ao seu ensino, para subsidiar a formação de professores no atendimentos a alunos privados do sentido da audição.

Veja mais: http://www.editora.ufscar.br/

  • Autor: Cristina Broglia Feitosa de Lacerda; Lara Ferreira dos Santos
  • Editora: Edufscar
  • Edição:
  • Ano: 2013
  • Preço na data de cadastro (impresso): R$ 35,00