Especialista dá dicas para se sair bem em concurso público

 

Renata Müller (*)

 

Renata Müller Diretora Editorial webAo identificar a carreira pública almejada, o candidato já deve iniciar a sua preparação, pois, dependendo do concurso, pode haver mais de três fases probatórias, além de testes físicos e psicotécnicos.


A melhor forma de estudar para concursos é se familiarizar com os temas exigidos no edital, além de resolver provas de concursos anteriores.


Recomenda-se ao candidato iniciar os estudos pelas matérias nas quais encontra mais dificuldades, conhecer o material indicado para o conteúdo programático exigido e saber se o melhor são livros específicos ou apostilas especialmente elaboradas para o concurso almejado (exemplo: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal etc.).


Atualmente, existem editoras especializadas na preparação para concursos públicos e que produzem materiais de qualidade. O material deve estar em conformidade com o edital da carreira pretendida pelo candidato, pois existem metodologias de estudo adequadas aos conteúdos programáticos das diversas carreiras públicas.

 

Os autores, conduzidos pela editora, elaboram livros completos e concisos, didáticos, sistematizados e escritos em linguagem clara e direta. Especialmente nos concursos para ingresso nas carreiras jurídicas, quando há assuntos controversos, são expostas as diversas posições da doutrina e jurisprudência, com destaque para as orientações do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STF), quando existentes. Escolher um material focado na carreira, portanto, é fundamental.


O projeto editorial do material didático específico para concursos costuma ser diferenciado, com questões objetivas de diversas provas, proporcionando ao leitor a possibilidade de avaliar seu aprendizado e se familiarizar com os pontos mais cobrados pelos examinadores.


Importante ressaltar também que o candidato deve estudar em ambiente adequado e propício para a assimilação do conteúdo, ou seja, um ambiente silencioso, e o método de estudo que se ajuste ao seu cotidiano. Estudar não é tão simples como parece, requer muita dedicação para que o aprendizado e a capacitação possam de fato acontecer.


Há pessoas com facilidade para apreender e memorizar conteúdo; por isso, preferem estudar sozinhas e conseguem estabelecer a disciplina dos horários. Elas fazem uso de um material apropriado, elaboram resumos e testam o nível de aprendizagem por meio da resolução de exercícios.


Destacamos que a prática dos simulados auxilia no direcionamento dos estudos, pois possibilita ao candidato visualizar o nível de dificuldade exigido no concurso de seu interesse e se familiarizar com a banca examinadora responsável pela aplicação da prova. Assim, passa a ter mais clareza do que deve buscar enquanto está estudando e organiza melhor seu método de preparação, podendo, por exemplo, focar nos temas e nas matérias de maior relevância para cada prova.


Um aspecto importante dos simulados é que o treino para solução das questões permite ao concurseiro administrar seu tempo para a solução da prova. Ainda que inicialmente de modo inconsciente, essa experiência contribuirá para que se mantenha calmo e concentrado para resolver sua prova no tempo estabelecido no edital.


Outra dica é matricular-se em um curso preparatório. As aulas ajudarão a entender os assuntos do edital, o perfil da banca examinadora, e as principais dúvidas poderão ser esclarecidas pelos professores.


Neste ano, haverá concursos importantes em âmbito nacional e os candidatos devem se preparar para enfrentar a pressão dos processos seletivos.

 

(*) Renata Müller é diretora editorial especializada em publicações jurídicas e para concursos em geral, editora das Apostilas Damásio de Jesus e idealizadora da Coleção “Simulados para Concursos”, da Editora Litera, empresa do Grupo Damásio Educacional S/A

Especialista dá dicas para se sair bem em concurso público

 

Renata Müller (*)

 

Ao identificar a carreira pública almejada, o candidato já deve iniciar a sua preparação, pois, dependendo do concurso, pode haver mais de três fases probatórias, além de testes físicos e psicotécnicos.

 

A melhor forma de estudar para concursos é se familiarizar com os temas exigidos no edital, além de resolver provas de concursos anteriores.

 

Recomenda-se ao candidato iniciar os estudos pelas matérias nas quais encontra mais dificuldades, conhecer o material indicado para o conteúdo programático exigido e saber se o melhor são livros específicos ou apostilas especialmente elaboradas para o concurso almejado (exemplo: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal etc.).

 

Atualmente, existem editoras especializadas na preparação para concursos públicos e que produzem materiais de qualidade. O material deve estar em conformidade com o edital da carreira pretendida pelo candidato, pois existem metodologias de estudo adequadas aos conteúdos programáticos das diversas carreiras públicas.

 

Os autores, conduzidos pela editora, elaboram livros completos e concisos, didáticos, sistematizados e escritos em linguagem clara e direta. Especialmente nos concursos para ingresso nas carreiras jurídicas, quando há assuntos controversos, são expostas as diversas posições da doutrina e jurisprudência, com destaque para as orientações do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STF), quando existentes. Escolher um material focado na carreira, portanto, é fundamental.

 

O projeto editorial do material didático específico para concursos costuma ser diferenciado, com questões objetivas de diversas provas, proporcionando ao leitor a possibilidade de avaliar seu aprendizado e se familiarizar com os pontos mais cobrados pelos examinadores.

 

Importante ressaltar também que o candidato deve estudar em ambiente adequado e propício para a assimilação do conteúdo, ou seja, um ambiente silencioso, e o método de estudo que se ajuste ao seu cotidiano. Estudar não é tão simples como parece, requer muita dedicação para que o aprendizado e a capacitação possam de fato acontecer.

 

Há pessoas com facilidade para apreender e memorizar conteúdo; por isso, preferem estudar sozinhas e conseguem estabelecer a disciplina dos horários. Elas fazem uso de um material apropriado, elaboram resumos e testam o nível de aprendizagem por meio da resolução de exercícios.

 

Destacamos que a prática dos simulados auxilia no direcionamento dos estudos, pois possibilita ao candidato visualizar o nível de dificuldade exigido no concurso de seu interesse e se familiarizar com a banca examinadora responsável pela aplicação da prova. Assim, passa a ter mais clareza do que deve buscar enquanto está estudando e organiza melhor seu método de preparação, podendo, por exemplo, focar nos temas e nas matérias de maior relevância para cada prova.

 

Um aspecto importante dos simulados é que o treino para solução das questões permite ao concurseiro administrar seu tempo para a solução da prova. Ainda que inicialmente de modo inconsciente, essa experiência contribuirá para que se mantenha calmo e concentrado para resolver sua prova no tempo estabelecido no edital.

 

Outra dica é matricular-se em um curso preparatório. As aulas ajudarão a entender os assuntos do edital, o perfil da banca examinadora, e as principais dúvidas poderão ser esclarecidas pelos professores.

 

Neste ano, haverá concursos importantes em âmbito nacional e os candidatos devem se preparar para enfrentar a pressão dos processos seletivos.

 

 

(*) Renata Müller é diretora editorial especializada em publicações jurídicas e para concursos em geral, editora das Apostilas Damásio de Jesus e idealizadora da Coleção “Simulados para Concursos”, da Editora Litera, empresa do Grupo Damásio Educacional S/A.