A Universidade Internacional do Espaço (em inglês, ISU) escolheu o Inpe como sede de seu mais importante programa de treinamento do mundo na área. O Space Studies Program (SSP) acontece entre julho e agosto de 2013 e reúne, durante nove semanas, estudantes e profissionais em palestras sobre Engenharia e aplicações de satélites, política, gestão e legislação espacial. Além das aulas teóricas, estão previstas atividades abertas ao público em geral, com participação de astronautas e personalidades internacionais. Visite o site para outras informações www.isunet.edu (em inglês).

O Centro Internacional de Biociência Agrícola (em inglês, CABI) é uma organização sem fins lucrativos que investe em publicações e pesquisas na área de Agricultura e Meio Ambiente. O CABI acaba de inaugurar o primeiro escritório na América do Sul, no campus da Unesp em Botucatu. Além desses projetos, o CABI também contribui para a pesquisa com um importante banco de dados sobre Saúde Pública e publicações sobre ciências Veterinárias e Ambientais, alimentação e Nutrição, Lazer e Turismo, Microbiologia e Parasitologia. Visite o site www.cabi.org.

As universidades têm se esforçado para acompanhar o mercado de trabalho. Entre outros investimentos, têm aberto novos cursos de graduação. As áreas com maiores investimentos são biodiversidade e energias renováveis, como é o exemplo do curso de Agroecologia da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa). O diretor do Instituto de Biodiversidade e Florestas, João Ricardo Vasconcellos Gama, explica o curso: “na Região Norte, o engenheiro chega para fazer o inventário florestal e a população pergunta como fazer para resolver o problema de um animal. Por isso criamos um curso que mescla agronomia e zootecnia. O profissional sai especializado em agricultura familiar”. A Universidade Federal do Pampa (Unipampa) também criou um curso que atende o público regional. O curso Engenharia de energias renováveis e ambiente atende os interessados em trabalhar nos parques eólicos que proliferam nas redondezas. (Com informações de Ocimara Balmant para o Estado de S. Paulo.)

A campanha lançada pelo movimento Todos pela Educação tinha a intenção de valorizar o professor, mas acabou virando piada. Os usuários eram incentivados a usar a hashtag #1bomprofessormeensinou e contar bons exemplos, histórias e lições de vida aprendidas com um docente. Porém, a expressão foi parar na lista dos mais comentados com frases do tipo “#1bomprofessormeensinou que casar gasta muito dinheiro, então não devemos nos casar”, “#1bomprofessormeensinou várias coisas, mas já esqueci tudo”. A assessoria de imprensa do Todos pela Educação confirmou que iniciou a disseminação do hashtag, mas que a intenção era realmente homenagear os professores.

O prazo para as instituições de ensino enviarem as informações exigidas pelo Inep para o Censo da Educação Superior foi prorrogado para 13 de maio. As instituições públicas e particulares devem acessar o site do Censo para enviar informações sobre a situação acadêmica de alunos e professores, atividades complementares, entre outras. Os dados serão utilizados em índices de qualidade. O resultado final será divulgado em 25 de junho.

A maranhense Luciana Salles Branco de Almeida ganha o Prêmio Internacional Hatton, entregue durante congresso nos Estados Unidos pela pesquisa desenvolvida com apoio da bolsa de Doutorado da Fapesp. O trabalho foi intitulado Estudo in vivo da atividade da fluoxetina e da desipramina sobre a modulação da resposta imunoinflamatória do hospedeiro na doença periodontal, e teve a orientação dos professores Pedro Rosalen (Unicamp), Gilson Franco (Unitau) e Toshihisa Kawai (The Forsyth Institute, nos Estados Unidos). A pesquisadora ressalta o possível efeito da fluoxetina sobre doenças autoimunes, como a artrite reumatoide. Clique aqui para mais detalhes sobre o estudo de Luciana.